FANDOM


250px-Georg Ernst Stahl.png

George Ernst Stahl (1660-1734)

George Ernst Stahl (N. Ansbach, Alemanha, 1660; M. Berlim, Alemanha, 1734). Médico, químico e filósofo, Stahl foi o impulsionador do Animismo, da Teoria do Flogisto e do conceito de Vitalismo.

Vida

George Ernest Stahl nasceu a 21 de outubro de 1660, na cidade alemã de Ansbach, e morreu, em Berlim, a 4 de Maio de 1734. Estudou Medicina em Jena, Alemanha, acabando o Doutoramento em Janeiro de 1684. Depois disso, dedicou-se a trabalhos científicos na área da Química, pelos quais se tornou reconhecido. De 1687 a 1694, Stahl exerceu Medicina na Côrte de Weimar, Alemanha. Em 1694, com a inauguração da Universidade de Halle, teve a oportunidade de leccionar Medicina e Química. Permaneceu no exercício das suas funções como professor até 1715. Durante este período, viu morrer as suas duas esposas, de febre puerperal, e a sua filha. Depois de 1715, voltou a exercer medicina, mas, desta vez, na Côrte de Berlim, onde permaneceu até à sua morte.

Através das suas teorias, principalmente pela Teoria do Flogisto, George Stahl encontrou explicações plausíveis para a ocorrência de determinados fenómenos químicos. Porém, estas teorias eram, frequentemente, rejeitadas, pois mostravam-se contrárias áquelas em que se acreditava na época.

Para desenvolver a Teoria do Flogisto, Stahl baseou-se nos trabalhos de Johann Joachim Becher e chegou à conclusão de que quando um metal ou mineral era extremamente aquecido, o flogisto (fluido inerente a todos os corpos combustíveis) abandonava-o, produzindo combustão, e deixava apenas um pequeno resíduo. Quando isto acontecia, Stahl acreditava que as propriedades da substânica eram alteradas, mas que, por ser um processo reversível, o flogisto poderia ser reabsorvido pelo resíduo do material, permitindo, assim, que a substância retomasse a sua forma inicial. No entanto, esta teoria foi definitivamente refutada por Lavoisier.

No que diz respeito ao Animismo, Stahl baseou-se na distinção entre o "vivo" e o "não-vivo". Ambos eram compostos por matéria e apresentavam uma estrutura mecânica. No entanto, apenas o ente "vivo" possuía anima (alma), essência da vida, capaz de coordenar todas as actividades mecânicas do corpo e de o preservar da putrefacção.

Amado por uns e odiado por outros, Stahl aparentava ser um homem pouco comunicativo, mas orgulhoso e confiante nos seus trabalhos.

Obras

- Zymotechnic fundamentalis (Halle, 1697)

- Disquisitio de mechanismi et organismi diversitate (Halle, 1706)

- Paraenesis, ad aliena a medica doctrina arcendum (Halle, 1706)

- De vera diversitate corporis misti et vivi (Halle, 1707)

- Theoria medica vera, physiologiam et pathologiam...sistens (Halle, 1708)

- Zufállige Gedaraken...iiben der Streit von der Sogenannten Sulphure (Halle, 1718)

- Collegium casuale magnum (Leipzig, 1733)

- Oeuvres médico - philosophiques et pratiques

Bibliografia

Gillispie, C., Dictionary of Scientific Biography, Charles Scribner's Sons, 1970, New York, USA

Dicionário Enciclopédico Koogan Larousse Selecções, Vol.1 - Léxico Comum, Selecções do Reader's Digest

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória